Psicomotricidade Relacional

 

A Psicomotricidade Relacional é uma praxis que procura dar um espaço de liberdade onde a criança aparece inteira, com seu corpo, suas emoções, sua fantasia, sua inteligência em formação. Este espaço é onde podem ser expressos seus conflitos, seus medos, sua ambivalência, seus sentimentos, tudo dentro de uma estrutura narrativa do jogo e nas relações que estabelecem com seus coetâneos e com o adulto. Espaço esse de legitimação dos seus pedidos, de suas necessidades, dos limites e do conhecimento e reconhecimento de si e dos outros. Espaço de desenvolvimento pessoal e interpessoal, de estruturação da criança como SER, de investimento não em dificuldades e sintomas, mas nas suas possibilidades de crescimento.

Objetivos da Psicomotricidade Relacional

A Psicomotricidade Relacional tem como objetivo consentir a criança expressar suas dificuldades relacionais e ajudá-la a superá-las:

  • Na aprendizagem: queda de rendimento, dificuldade de expressão verbal ou gráfica, déficit de atenção, etc.
  • No comportamento: agressividade, falta de limites, medos, TDA/H (hiperatividade), hipercinesia, depressão, TOC, etc.
  • Na socialização: dificuldade de integração e participação em atividades grupais, inibição, isolamento, falta de iniciativa, passividade, etc.

“É a ciência que tem como objeto de estudo o homem através do seu corpo em movimento e em relação ao seu mundo interno e externo, bem como suas possibilidades de perceber, atuar, agir com o outro, com os objetos e consigo mesmo. Está relacionada ao processo de maturação, onde o corpo é a origem das aquisições cognitivas, afetivas e orgânicas (S.B.P.1999).”

Psicomotricistas Relacionais


Graça Cunha

Graça Cunha

“Como Psicomotricista, ajudo crianças a encontrar-se a partir da consciência do seu corpo e do seu mundo relacional, e assim superar dificuldades na vida escolar e cotidiana, na medida em que entram em contato com seus conteúdos emocionais, podendo assim adquirir a autoconfiança,
Sou Psicóloga graduada pela FACHO, Pós-Graduada em Psicomotricidade Relacional através do ÍCONE, onde supervisiono pós-graduandos e também a Especialização em Psicomotricidade Relacional, que acontece em parceria com o Centro Internacional de Análise Relacional (CIAR). Faço parte da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade (SBP), instituição que presidi por três gestões – cerca de 12 anos.
Atuo também na gestão do Ícone Desenvolvimento Humano desde 2001, onde tenho contribuído com a formação de mais de 16 turmas de pós-graduação em Psicomotricidade Relacional desde esse período.
Tive o privilégio de conviver e contar com o próprio André Lapierre (criador da Psicomotricidade) como orientador, no início da minha atuação na área.”